Vaca não dá leite

Cortella, costumava dizer aos filhos quando crianças: “– Quando completarem 12 anos contarei o segredo da vida a vocês.”

Quando o mais velho completou 12 anos, acordou o pai todo ansioso para saber o segredo da vida. O pai disse: – “Contarei, mas, você não poderá revelar aos seus irmãos.

– “Eis o segredo: Vaca não dá leite.”

– “Hã?”

– “Vaca não dá leite. Você tem de tirar. Você precisa acordar 4h da manhã, ir ao pasto, entrar no curral cheio de fezes, amarrar rabo e pernas da vaca, sentar no banquinho e fazer o movimento certo!

Esse é o segredo da vida. Vaca, búfala,cabra, não dão leite. Ou você tira ou não tem leite. Existe uma geração que acha que vaca dá leite, ela acha que as coisas são automáticas. Eu quero, eu peço, eu ganho. A felicidade resulta do esforço. A ausência de esforço gera frustração.”

Anúncios

“Somos tão atarefados para não precisar lidar com o que importa: a vida.”

“Podíamos ficar a viver aqui, eu ofereceria-me para lavar os barcos que vêm à doca, e tu, E eu, Tens com certeza um mester, um ofício, uma profissão, como agora se diz, Tenho, tive, terei se for preciso, mas quero encontrar a ilha desconhecida, quero saber quem sou eu quando nela estiver, Não o sabes, Se não sais de ti, não chega a saber quem és … às vezes dava-lhe a filosofar, dizia que todo homem é uma ilha, tu que achas, Que é necessário sair da ilha para ver a ilha, que não nos vemos se não saimos de nós, Se não saímos de nós próprios, queres tu dizer, Não é a mesma coisa. “

Livro O Conto da Ilha Desconhecida, Saramago

Trem Bala

Não é sobre ter todas as pessoas do mundo pra si
É sobre saber que em algum lugar alguém zela por ti
É sobre cantar e poder escutar mais do que a própria voz
É sobre dançar na chuva de vida que cai sobre nós

É saber se sentir infinito
Num universo tão vasto e bonito, é saber sonhar
Então fazer valer a pena
Cada verso daquele poema sobre acreditar

Não é sobre chegar
No topo do mundo e saber que venceu
É sobre escalar e sentir que o caminho te fortaleceu
É sobre ser abrigo
E também ter morada em outros corações
E assim ter amigos contigo em todas as situações

A gente não pode ter tudo
Qual seria a graça do mundo se fosse assim?
Por isso eu prefiro sorrisos
E os presentes que a vida trouxe pra perto de mim

Não é sobre tudo que o seu dinheiro é capaz de comprar
E sim sobre cada momento, sorriso a se compartilhar
Também não é sobre
Correr contra o tempo pra ter sempre mais
Porque quando menos se espera a vida já ficou pra trás

Segura teu filho no colo
Sorria e abraça os teus pais enquanto estão aqui
Que a vida é trem-bala parceiro
E a gente é só passageiro prestes a partir

Laiá, laiá, laiá, laiá, laiá
Laiá, laiá, laiá, laiá, laiá

Segura teu filho no colo
Sorria e abraça os teus pais enquanto estão aqui
Que a vida é trem-bala parceiro
E a gente é só passageiro prestes a partir

Adicionar à playlist
Tamanho
A
A
Cifra

“Às vezes eu acho que fico mudando de lugar mudando de lugar mudando de lugar para manter o frescor, pra manter a surpresa de querer que cada manhã seja diferente. Cada vez que eu acho que já sei um pouquinho daquele lugar eu já quero ir embora.”

Leonilson, artista

De tudo ficaram três coisas

De tudo ficaram três coisas:

A certeza de que estamos sempre começando… 

A certeza de que é preciso continuar… 

A certeza de que podemos ser interrompidos 

antes de terminar… 
Façamos da interrupção um caminho novo… 

Da queda, um passo de dança… 

Do medo, uma escada… 

Do sonho, uma ponte… 

Da procura, um encontro!

:: Fernando Sabino ::

A grande beleza

“Finisce sempre così. Con la morte. Prima, però, c’è stata la vita, nascosta sotto il bla bla bla bla bla. È tutto sedimentato sotto il chiacchiericcio e il rumore. Il silenzio e il sentimento. L’emozione e la paura. Gli sparuti incostanti sprazzi di bellezza. E poi lo squallore disgraziato e l’uomo miserabile. Tutto sepolto dalla coperta dell’imbarazzo dello stare al mondo. Bla. Bla. Bla. Bla. Altrove, c’è l’altrove. Io non mi occupo dell’altrove. Dunque, che questo romanzo abbia inizio. In fondo, è solo un trucco. Sì, è solo un trucco.”
“Sempre termina assim. Com a morte. Mas primeiro, houve a vida, escondida sob o bla bla bla bla bla. Tudo é sedimentado sob a trepidação e o ruído. O silêncio e o sentimento. A emoção e o medo. Os escassos inconstantes flashes de beleza. E então a desolação desgraçada e o homem miserável. Todos enterrados sob a cobertura da vergonha de estar neste mundo. Bla. Bla. Bla. Bla. Em um outro lugar, há um outro lugar. Eu não me envolvo desse outro lugar. Por isso, que este romance tenha início. No fundo é apenas um truque. Sim, é apenas um truque.”
Filme “La Grande Bellezza” de Paolo Sorrentino

Previous Older Entries