“Podíamos ficar a viver aqui, eu ofereceria-me para lavar os barcos que vêm à doca, e tu, E eu, Tens com certeza um mester, um ofício, uma profissão, como agora se diz, Tenho, tive, terei se for preciso, mas quero encontrar a ilha desconhecida, quero saber quem sou eu quando nela estiver, Não o sabes, Se não sais de ti, não chega a saber quem és … às vezes dava-lhe a filosofar, dizia que todo homem é uma ilha, tu que achas, Que é necessário sair da ilha para ver a ilha, que não nos vemos se não saimos de nós, Se não saímos de nós próprios, queres tu dizer, Não é a mesma coisa. “

Livro O Conto da Ilha Desconhecida, Saramago

“O que dá o verdadeiro sentido ao encontro é a busca, e é preciso andar muito para se alcançar o que está perto.”

:: José Saramago ::

“Vivemos no relativo, não no absoluto”

Jose Saramago

A criança que fui

Quero é recuperar, saber, reinventar a criança que eu fui. Pode parecer uma coisa um pouco tonta: um senhor nesta idade estar a pensar na criança que foi. Mas eu acho que o pai da pessoa que eu sou é essa criança que eu fui. Há o pai biológico, e a mãe biológica, mas eu diria que o pai espiritual do homem que sou é a criança que fui.

Por  José Saramago

“Fala-se de direitos humanos e ainda bem, e há que continuar a fazê-lo, mas falamos poucos de DEVERES humanos. Deveres de quê? De solidariedade, sobretudo. De respeito humano, sobretudo. Esquecemos um pouco que os direitos se compaginam com os deveres.”

José Saramago, gênio, sempre

“Eu estou comprometido com a vida e esforço-me por transformar as coisas, e para isso não tenho mais remédio senão fazer o que faço e dizer o que sou.”

Saramago

Comprometido com a vida

“Eu estou comprometido com a vida e esforço-me por transformar as coisas, e para isso não tenho mais remédio senão fazer o que faço e dizer o que sou.”

Saramago, sempre!