“Podíamos ficar a viver aqui, eu ofereceria-me para lavar os barcos que vêm à doca, e tu, E eu, Tens com certeza um mester, um ofício, uma profissão, como agora se diz, Tenho, tive, terei se for preciso, mas quero encontrar a ilha desconhecida, quero saber quem sou eu quando nela estiver, Não o sabes, Se não sais de ti, não chega a saber quem és … às vezes dava-lhe a filosofar, dizia que todo homem é uma ilha, tu que achas, Que é necessário sair da ilha para ver a ilha, que não nos vemos se não saimos de nós, Se não saímos de nós próprios, queres tu dizer, Não é a mesma coisa. “

Livro O Conto da Ilha Desconhecida, Saramago

Anúncios