“há uma rachadura em tudo. é assim que a luz entra.”

Leonard Cohen

“Conheça todas as teorias, domine todas as técnicas, mas ao tocar uma alma humana, seja apenas outra alma humana.”

:: Carl Jung ::

 “Se existe o silêncio fértil da consciência, daquele que ouve e compreende quem lhe fala ou o da viva percepção alerta, também existe um tolo e apático, e outro de cheio de censura e ressentimento que vocifera sem palavras e não se atreve a abrir a boca”.

:: poeta e ativista americano Paul Goodman ::

http://brasil.elpais.com/brasil/2016/09/07/ciencia/1473259838_168902.html?id_externo_rsoc=FB_BR_CM

Espaço vazio

“Hoje, depois de um tanto de agonia, consigo entender a diferença entre o medo que paralisa e o espaço vazio que é campo de um novo florescer. O medo que paralisa dá angústia, coloca em nossa cabeça um monte de “pré-ocupações”, infinitos “e se” e dá uma sensação de que estamos fazendo errado, de incapacidade. Ele é reflexo de uma tentativa frustrada de controle, de querer o mapa passo-a-passo da vida. O vazio é um espaço de silêncio. Coloca a gente num estado de percepção mais aguçada, de sentir, de abrir para o que está por vir. Não é acelerado, mas também não é passivo.
A auto-cobrança e a cobrança externa são muito frequentes no espaço vazio. Como não somos acostumados a pausas, não nos permitimos ficar sem um check-list da vida. E nem as outras pessoas nos permitem. E parece que não estamos fazendo, produzindo. Mas é um outro tipo de movimento de fazer que está acontecendo. É um fazer do nosso eu se conectando com o que viemos fazer no mundo. E se permitirmos esse espaço vazio, as ações a serem tomadas se tornam claras, as pessoas certas aparecem, as situações de que precisamos acontecem. 

E nesse espaço vazio nós estamos sim fazendo outras coisas, talvez não diretamente ligadas ao nosso propósito essencial, mas parte fundamental do processo de vivê-lo por completo.”

Ana Paula Croscrato dos Santos, coach

A Casa de Hóspedes

O ser humano é uma casa de hóspedes.

Toda manhã uma nova chegada.

A alegria, a depressão, a falta de sentido, como visitantes inesperados.

Receba e entretenha a todos.

Mesmo que seja uma multidão de dores

Que violentamente varrem sua casa e tira seus móveis.

Ainda assim trate seus hóspedes honradamente.

Eles podem estar te limpandopara um novo prazer.

O pensamento escuro, a vergonha, a malícia, encontre-os à porta rindo.

Agradeça a quem vem,porque cada um foi enviado como um guardião do além.

— Rumi (Mestre sufi do sec. XII)