“Um dia e preciso parar de sonhar e de algum modo, partir”

Amyr Klink

“Always believe that something wonderful is about to happen.”

#makeitcount

“Buy the ticket. Take the ride.”
Hunter S. Thompson

“You only live once. But if you do it right, once is enough.”
Mae West

“Above all, try something.”
Franklin D. Roosevelt

“I never worry about the future. It comes soon enough.”
Albert Eisntein

“One who makes no mistakes makes nothing at all.”
Giacomo Cananova

“Do one thing everyday that scares you.”
Eleanor Roosevelt

“In the end it’s not the years in your life that count, it’s the life in your years.”
Abraham Lincoln

“If I’d followed all the rules I’d never have gotten anywhere.”
Marilyn Monroe

“Action expresses priorities.”
Gandhi

Para viajar basta existir.

Viajar? Para viajar basta existir. Vou de dia para dia, como de estação para estação, no comboio do meu corpo, ou do meu destino, debruçado sobre as ruas e as praças, sobre os gestos e os rostos, sempre iguais e sempre diferentes, como, afinal, as paisagens são.

Se imagino, vejo. Que mais faço eu se viajo? Só a fraqueza extrema da imaginação justifica que se tenha que deslocar para sentir.

“Qualquer estrada, esta mesma estrada de Entepfuhl, te levará até ao fim do mundo”. Mas o fim do mundo, desde que o mundo se consumou dando-lhe a volta, é o mesmo Entepfuhl de onde se partiu. Na realidade, o fim do mundo, como o princípio, é o nosso conceito do mundo. É em nós que as paisagens têm paisagem. Por isso, se as imagino, as crio; se as crio, são; se são, vejo-as como às outras. Para quê viajar? Em Madrid, em Berlim, na Pérsia, na China, nos Pólos ambos, onde estaria eu senão em mim mesmo, e no tipo e género das minhas sensações?

A vida é o que fazemos dela. As viagens são os viajantes. O que vemos, não é o que vemos, senão o que somos.

Fernando Pessoa